Portal de Notícias da Direita Brasileira

Notícias Geral

Presidente da OAB AMAPÁ, Auriney Brito, sofre reprimenda da OAB NACIONAL

Auriney interferiu nas decisões da Caixa de Assistência do Amapá (CAA/AP), atualmente presidida pelo advogado Jorge Anaice.

Presidente da OAB AMAPÁ, Auriney Brito, sofre reprimenda da OAB NACIONAL
Auriney Brito, Presidente da OAB Amapá
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

DEPOIS DE INDUZIR CONSELHO SECCIONAL A ERRO E TENTAR INTERFERIR NA CAIXA DOS ADVOGADOS, AURINEY BRITO LEVA REPRIMENDA DE BRASÍLIA

O presidente da OAB Amapá, Auriney Brito, levou reprimenda da OAB Nacional. Numa manobra política, Auriney induziu os conselheiros da Seccional Amapá a assinarem uma portaria que ele mesmo elaborou, interferindo nas decisões da Caixa de Assistência do Amapá (CAA/AP), atualmente presidida pelo advogado Jorge Anaice.


Recentemente, tanto a CAA/AP quanto a OAB Amapá receberam recursos para serem aplicados no atendimento a advogados em situação de vulnerabilidade social. Auriney, além de não utilizar os R$ 400 mil que recebeu da OAB Nacional, tentou ditar regras sobre os critérios estabelecidos pela Caixa de Assistência para demonstrar carência financeira dos advogados.


Auriney Brito chegou até a nomear uma comissão para intervir na Caixa. No documento que reprimiu as pretensões do presidente da OAB, foi confirmado ser de competência das Caixas de Assistência definir os critérios, para demonstrar carência financeira dos advogados, desautorizando qualquer interferência.

Foram mantidos integralmente os atos da Caixa de Assistência e Auriney advertido da “necessidade de respeito a autonomia das Caixas de Assistência dos Advogados, prevista no Estatuto da Advocacia”.

Crise institucional
Eleito com o discurso de renovação e de maior efetividade da OAB nas pautas de interesse do cidadão, Auriney enfrenta uma séria crise interna. Recentemente foi cobrado sobre o plano de ação para atender os advogados durante no período de pandemia, já que a OAB Amapá recebeu R$ 400 mil para essa finalidade e mantem-se silente, quanto a isso.


Também não emitiu qualquer nota ou opinião sobre as denúncias que resultaram em operação da Polícia Federal e duas ações do Ministério Público sobre a falta de transparência nas compras destinadas às ações de controle do Coronavírus e do sobrepreço de até 1000% de insumos hospitalares, muito menos das denúncias divulgadas em rede nacional sobre a ausência de EPIs para profissionais de saúde, o que pode levar à suspensão do atendimento a vítimas da Covid-19 no Amapá.


Além disso não se manifestou sobre as aglomerações em frente aos bancos para o recebimento do auxílio emergencial do governo federal, facilitando o contágio.


O mandato de Auriney encerra em 2021. Ele já anunciou a amigos próximos que é pré-candidato a deputado federal, mas diante dos problemas que enfrenta em sua gestão na OAB, dificilmente terá apoio da classe de advogados.


Na opinião de advogados, a pré-candidatura de Auriney talvez seja o motivo do grande interesse em distribuidor cestas básicas, utilizando dinheiro do sistema OAB.

 

FONTE/CRÉDITOS: Da Redação
Comentários:

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )